Sai o natural e entra o artificial

Postado: domingo, 16 de agosto de 2009 | Por : Rivaldo Rodrigues | Em: ,

0


O Centro do Consenso de Copenhague, um respeitado think tank europeu - que sempre foi cético quando o assuto era mudanças climáticas - agora está aconselhando que nós devemos gastar US$ 9 bilhões para construir 1.900 navios geradores de nuvens como esse aí em cima. O motivo? Dar uma refrescada na Terra.

As embarcações totalmente automatizadas vão atravessar os oceanos absorvendo água e borrifando nos céus. Os estudiosos dizem que a formação de nuvens maiores e mais brancas fará com que menos raios solares cheguem à superfície, diminuindo as temperaturas.

Se for comprovado que teoria de fato funciona e que não apresentara efeitos colaterais no meio ambiente até que o projeto não é má ideia. Mas o que está por trás disso deve ser pensado com carinho.

A camada de ozônio, que antigamente protegia a terra dos raios ultra-violetas, antigamente antes de termos degradado o meio-ambiente (para se ter uma ideia hoje em dia a terra recebe 10% a mais de raios ultravioleta que há 15 anos atrás), fica acima da estratosfera enquanto as nuvens ficam aqui pertinho na troposfera ou seja, o céu que nos vemos hoje pode estar em extinção, as gerações futuras pode nunca virem a ver o sol a lua e a as estrelas, ao olhar pra cima o que eles verão serão nuvens branca e densas salvando a nossas viva.

Outra coisa é que esse projeto é uma afirmação do tipo "Sim nos degradamos o meio ambiente" o que na verdade é muito obvio. O que não é obvio é o porque da degradação continuar. Estaremos conformados em viver em um mundo totalmente artificial?

0 comentários to Sai o natural e entra o artificial